HÁ MAIS DE 30 ANOS NO MERCADO




Saldos iniciais: entenda o que são e como funcionam


Os saldos iniciais estão ligados à formação do balanço patrimonial de uma empresa, desta forma, é considerado um dos conceitos contábeis mais relevantes para os empreendimentos.

É importante saber que eles estão presentes desde o início da atividade empresarial, pois, são todos os valores que estão disponíveis nas contas da sua empresa. 

Por isso, é importante entender como os saldos iniciais funcionam, quando são utilizados e como saber quais são os saldos iniciais da sua empresa, que devem ser calculados quando há transição dos períodos contábeis.

Desta forma, você saberá quais são os efeitos de cada transação realizada pelo empreendimento, assim como os eventos e políticas contábeis relativas ao período anterior. 

Os saldos iniciais devem ser contabilizados corretamente, para que demonstrem a real situação financeira da sua empresa. Sendo assim, temos dois tipos de contas: 

  • O capital que é alocado pelos sócios;
  • O dinheiro em caixa. 

As informações relacionadas aos saldos iniciais podem ser verificadas por meio de balancete ou balanço patrimonial e utilizadas para que o profissional escriture os lançamentos contábeis da entidade no próximo ano.

Quando são utilizados?

Os saldos iniciais serão utilizados nas hipóteses previstas pelas Normas Brasileiras de Contabilidade de Auditoria Independente, que são estabelecidas pela NBC TA 510. É válido destacar três situações em que os saldos iniciais são necessários e ajudam nas atividades contábeis do negócio: 

  • Início da empresa, pois, ao registrar o empreendimento é feita contabilização dos saldos iniciais que corresponde à soma do capital social que foi integralizado pelos sócios e os valores disponíveis em caixa;
  • Ano contábil, estando presente durante a transição entre exercícios financeiros, que é quando a empresa faz o encerramento do ano contábil verificando o saldo em conta e fazendo a transferência do montante para ser utilizado no exercício seguinte;
  • Transferência de contabilidade, quando é necessário fazer a transferência da contabilidade entre escritórios e empresas contábeis para outros prestadores, será preciso verificar os saldos iniciais por aqueles que irão assumir a contabilidade da empresa. 

Vale destacar que se houver a intenção de fazer a transferência de contabilidade para outro profissional, a data do registro dos saldos das contas contábeis vindas de balancete/balanço patrimonial precisa ser referente à data de encerramento constante na demonstração contábil.

Sendo assim, o novo contador não pode efetuar lançamento de Saldos Iniciais com a data do início da sua responsabilidade. Para que você entenda melhor veja o exemplo:

Se o novo contador fechou um contrato a partir de 01/10/2018 e recebeu o balancete da empresa datada entre 01/01/2018 à 30/09/2018, deve lançar os saldos iniciais com a data de 30/09/2018, e iniciará os lançamentos e escriturações contábeis e fiscais que são de sua responsabilidade a partir de 01/10/2018.

Saldos iniciais e os balanços de abertura

É importante destacarmos que o balanço de abertura está relacionado com os saldos iniciais, uma vez que se refere à organização dos documentos que identificam aos ativos que são os bens e direitos da empresa, além dos passivos que são as obrigações dos períodos.

Os lançamentos contábeis nesse balanço são iniciados no dia 1 do mês de janeiro do exercício seguinte. Assim, a pessoa jurídica precisa levantar as seguintes informações no saldo de abertura:

  • saldos de estoque;
  • faturas pendentes;
  • eventuais extratos bancários;
  • montantes referentes a tributos e obrigações;
  • relatórios dos bens que compõem o ativo imobilizado, dentre outros.

Contrapartida  

O termo contrapartida dos saldos, se refere a um lançamento contrário para que ocorra um balanceamento dos valores, assim como é necessário haver um crédito para todo débito e vice-versa. Por isso, as transações são registradas em, no mínimo, duas contas.

O método das partidas dobradas é obrigatório para todas as entidades públicas e privadas do Brasil, de acordo com a Lei n.º 4.320/64.

Assim, o registro de qualquer transação da empresa gera um efeito duplo, ou seja, há uma quantia recebida e uma debitada, assim o total do crédito sempre será igual ao total do débito, o que resulta no equilíbrio dos passivos e os ativos, permitindo que o balanço patrimonial seja mais seguro.

Fonte: Jornal Contábil | 22/02/2021